OS SEGREDOS ESCONDIDOS NO RITMO DAS ESTRELAS | SPACE TODAY TV EP2213

19 Просмотры
Издатель
ENTRE NA COMUNIDADE SPARKLE DO SPACE TODAY NO HOTMART:



--------------------------------------------------------------------
VISITE A LOJA DO SPACE TODAY:



--------------------------------------------------------------------

SEJA MEMBRO DO SPACE TODAY E AJUDE COM A CRIAÇÃO DE CONTEÚDO SÉRIA NA ÁREA DE ASTRONOMIA:







--------------------------------------------------------------------

Entender o que acontece no interior das estrelas não é algo fácil.

Na verdade é praticamente impossível, porém, é muito importante, pois são as movimentações no interior que fazem com que as estrelas gerem flares, explosões, ou seja, tudo que influencia os planetas ao seu redor.

Porém nem tudo está perdido para os astrônomos.

Aqui na Terra, nós também não conseguimos observar o interior do planeta, então, os geofísicos utilizam ondas sísmicas que viajam pela interior da Terra, refletem e refratam nas camadas e assim é possível definir a estrutura interna e as anomalias existentes.

No caso das estrelas, recentemente uma técnica começou a ser muito aplicada, e é muito parecida com a sísmica aplicada na Terra.

Essa técnica se chama asteriosismologia.

Basicamente, as ondas viajam pelo interior da estrela, e causam variações no brilho, ao estudar essas variações os astr6onomos conseguem então determinar o que acontece no interior das estrelas.

Se você estudar uma estrela que é pulsante então, isso fica muito melhor.

E foi isso que um grupo de astrônomos fez.

Eles escolheram estudar um tipo de estrela chamado de Delta Scuti, um tipo de estrela um pouco mais massiva que o Sol, entre e vezes a massa do Sol, e que pulsam.

Os astrônomos já identificaram milhares dessas estrelas, mas sempre tiveram problemas em determinar de forma precisa o pulso dessas estrelas para então poder entender o seu interior.

Mas agora com a missão TESS da NASA, isso ficou bem mais fácil.

A TESS registrou a curva de luz de milhares de estrelas e comparando com os dados do Kepler e usando telescópios em Terra, os astrônomos selecionaram 60 estrelas do tipo Delta Scuti que possuem um padrão de pulsação bem definido.

Os astrônomos estudaram a variação de brilho causada por esses pulsos e puderam fazer descobertas interessantes.

Uma delas mostrou que uma estrela que antes tinha uma idade estimada de 1 bilhão de anos, teve essa estimativa revista para 120 milhões de anos.

Essa idade da estrela pode ter uma grande influência nos planetas na sua órbita.

Determinar a idade das estrelas com precisão, sua estrutura interna, seu comportamento, sua evolução, são parâmetros cruciais para os astrônomos.

Além disso, tudo isso que eles aprenderem estudando o interior dessas estrelas com a asteriosismologia, poderão usar para entender e caracterizar melhor o nosso Sol.

Pela primeira vez está sendo possível entender o interior de estrelas que representam uma grande população no universo.

Isso mostra a versatilidade de uma missão como a TESS que foi enviada para encontrar exoplanetas, mas que está fazendo vários outros tipos de estudos, os astrônomos irão continuar estudando esse tipo de estrela para aperfeiçoar a técnica da asteriosismologia e para entender cada vez melhor o interior das estrelas.

Fonte:



Artigo na comunidade do Space Today no Sparkle:



#RITHM #STARS #SPACETODAY
Категория
Приключения
Комментариев нет.
Яндекс.Метрика