HUBBLE MAPEIA O HALO GIGANTE DA GALÁXIA DE ANDRÔMEDA | SPACE TODAY TV EP2298

7 Просмотры
Издатель
VISITE A SPACE TODAY STORE:



INSCREVA-SE NO CURSO DE ASTRONOMIA DO SPACE TODAY:



A galáxia de Andrômeda também conhecida como M31, é uma galáxia espiral muito parecida com a Via Láctea, que deve abrigar cerca de 1 trilhão de estrelas.

Ela está localizada a milhões de anos-luz de distância da Terra, e essas características fazem com que ela seja visível a olho nu, na verdade é o objeto mais distante que pode ser visto a olho nu no céu noturno da Terra.

Mas as galáxias são muito mais do que nós observamos delas, no caso das galáxias espirais normalmente podemos ver facilmente o disco central de estrelas e os braços espirais.

Mas além disso, e muito além existe um outro componente muito importante nas galáxias, mas que não é observado de forma direta, esse componente é conhecido como halo galáctico.

Observar e entender esses halos é muito importante para podermos entender mais sobre as galáxias, esses halos armazenam gás que será usado para a formação de estrelas das galáxias, é nesse halo que se encontram pistas sobre a formação e a evolução da galáxia.

Porém, não é fácil estudar esse halo, pois ele é muito tênue, mas agora um grupo de pesquisadores conseguiu fazer isso, usando o Telescópio Espacial Hubble e a luz emitida por 43 quasares dentro de um grande projeto conhecido como AMIGA.

Observando como a luz desses quasares distantes é absorvida pelo halo da galáxia de Andrômeda foi possível caracterizar de forma única essa região da nossa vizinha.

O Hubble foi fundamental para esse estudo, pois a luz estudada dos quasares, foi a luz ultravioleta, esse tipo de luz é absorvida pela atmosfera da Terra, de modo que só conseguimos estudar com telescópios espaciais e o Hubble possui um espectrógrafo destinado só para o estudo da luz ultravioleta.

O halo de Andrômeda já foi estudado anteriormente, em 2015, usando a luz de apenas 6 quasares, portanto esse programa atual é muito mais preciso, pois usa a luz de 43 desses objetos.

Outra coisa importante sobre os halos galácticos, os astrônomos não podem estudar muito bem o halo da Via Láctea, pois moramos dentro dela, eles conseguem estudar o halo de galáxias muito distantes, mas Andrômeda, por estar relativamente próxima é um laboratório ideal para esse tipo de estudo.

Os pesquisadores com o projeto AMIGA conseguiram então mapear o halo de Andrômeda, descobriram que eles estende cerca de milhão de anos-luz da galáxia, cerca de metade do caminho entre a Via Láctea e Andrômeda.

Eles também descobriram que o halo de Andrômeda apresenta camadas, com duas camadas principais imbricadas e várias conchas distintas de gás.

Descobriram também uma grande quantidade de elementos pesados no halo de Andrômeda.

Esse até agora é o estudo mais detalhado já feito de um halo galáctico.

Andrômeda é a única galáxia onde se pode fazer esse tipo de estudo, pois as outras galáxias do grupo local estão além da capacidade observacional do Hubble e do seu espectrógrafo ultravioleta, para outros estudos serão necessários telescópios espaciais mais potentes.

O Hubble, mesmo com seus 30 anos e com toda a contribuição que já nos deu, está nos dando agora uma ideia do que pode ser o futuro no estudo e no entendimento das galáxias.

Fonte:





#ANDROMEDA #HUBBLE #SPACETODAY
Категория
Приключения
Комментариев нет.
Яндекс.Метрика